terça-feira, fevereiro 09, 2010

24433

Eleva-se em momentos mais suaves
A voz de quem se fez enamorado,
O quadro se tecendo do passado
Além do que deveras não agraves,

Por mais que as noites sejam frias, graves,
Amor sendo demais; sigo escaldado
E bebo deste encanto e inebriado
Dos sonhos vou criando minhas naves

Até que a realidade esteja nua
E mesmo sob o efeito desta lua
Que toma e assim prateia a imensidão

Esgueiro-me entre foscas lamparinas
E sei que quando tocas e alucinas
Jamais os meus desejos se oporão.